• Luli Neri Riccetto

BONS NEGÓCIOS GASTRONÔMICOS


Sempre ouvi falar dos tais rodízios de petiscos, mas, apesar de carioca e, portanto, apaixonada pelas comidas de boteco, nunca havia ido a um desses. No último sábado, me arrependi por ter esperado tanto tempo para experimentar! Convidada por amigos, fui com minha família ao Detroit Steak House, no Pier 21 (Brasília-DF). Quando veio o convite, como de costume, antes de confirmar minha ida a um restaurante que não conheço, fui para a Internet pesquisar sobre o local, afinal, o tempo de crise não nos permite gastar sem ter ao menos uma ideia de onde vamos. Confesso que fiquei um pouco receosa e, porque não dizer, desconfiada, quando minha amiga me disse que lá serviam um rodízio de petiscos por menos de 40 reais por pessoa. Então, a pesquisa se tornou ainda mais rigorosa que de costume. Visitei o site do estabelecimento e vi boas fotos de um lugar aparentemente agradável, me certifiquei de que havia um espaço para as crianças, dei uma olhada no cardápio e, claro, conferi o preço do rodízio. Correto: R$39,95 por adulto, e meus dois pequenos (8 e 11 anos) pagariam metade desse valor. Conversei com o maridão e chegamos à conclusão de que valia a pena arriscar.

A boa impressão obtida pelo site se confirmou logo na chegada, quando fomos recebidos por atendentes muito simpáticos, o local é realmente agradável e os olhos das crianças brilharam ao ver o local específico para eles. A comida é farta e muito gostosa. Além da comodidade do rodízio servido à mesa, as crianças ainda puderam contar com um refrigerante em esquema de refil; pagamos R$9,90 para que cada um bebesse refrigerante a noite toda! O chope ou qualquer drink eram dose-dupla (paga-se um, bebem-se dois) até às 20h. Como estávamos em um grupo grande (15 pessoas), ainda “rolou uma choradinha” com o gerente, que autorizou a continuidade do serviço de dose-dupla, para a nossa mesa, até as 22h. Resumo da noite: boa comida, bom atendimento, crianças entretidas nos brinquedos, conversa boa com amigos, ou seja, noite de sábado perfeita!

Mas, meu objetivo nessa coluna vai muito além de elogiar e recomendar uma boa opção de lazer gastronômico na capital. Como profissional da área de Alimentos e Bebidas, fiquei analisando o Detroit como um interessante modelo de negócio gastronômico.

Para o cliente, o valor fixo é algo muito vantajoso. Ainda mais, em Brasília, onde o custo de uma noite de lazer gastronômico é bem alto. O valor de R$39,95 (rodízio do Detroit) é o que normalmente se paga, em média, nas porções mais simples, como batata frita ou calabresa acebolada, na maioria dos cardápios de restaurantes do mesmo nível do Detroit. A opção de refrigerante à vontade por R$9,90 é outro grande atrativo. Quem tem filhos sabe que numa saída dessas, onde os pais querem beber e papear, as crianças acabam consumindo cerca de 2, 3 ou mais latas de refrigerante a um preço em torno de R$5,00 cada! A bebida alcoólica em dose dupla, ainda que a unidade seja um pouco mais cara do que a dos concorrentes, interfere na tomada de decisão do cliente, afinal é melhor pagar um chope de R$9,80 e tomar o segundo de graça, do que pagar mais ou menos R$7,00 a R$8,00 em cada um que se bebe. Juntem-se a todas essas vantagens financeiras, o ambiente agradável, a comida gostosa e bem servida, o atendimento exemplar e a comodidade da brinquedoteca... é perfeito!

Mas, e do lado do empresário? Será um negócio lucrativo? Fiquei fazendo algumas análises e observei que todo o serviço é voltado a manter o cliente pelo máximo de tempo no estabelecimento, maximizando o lucro. Por quê?

Vejamos o cardápio do rodízio: quatro tipos de batata – fritas tradicionais, rústicas apimentadas, recheadas e assadas –, nachos com quatro molhos, mini-hambúrgueres, peito ou asinha de frango empanados, anéis de cebola fritos e o carro-chefe: costelinhas de porco ao molho barbecue. Não precisa ser nenhum Chef ou gastrônomo para saber que todos os insumos utilizados são de baixo custo. Não há nenhum ingrediente refinado, raro ou caríssimo. Porém, tudo é muito bem preparado, apresentado e saboroso.

O serviço é rápido na chegada do cliente, que vendo tantas delícias, come desenfreadamente. O que faz com que o consumo de alimentos diminua e pare em pouco tempo. O refrigerante de máquina é também outro insumo de baixo custo e, considerando que não se pode entrar com bebida na brinquedoteca, as crianças não consomem muito.

E, assim, a maior parte do lucro vem pelas bebidas alcoólicas. Os pais, relaxados e despreocupados com suas crianças, ficam por horas consumindo.

Os horários determinados pelo estabelecimento são também estratégicos. O restaurante funciona diariamente a partir das 14h, mas, às 20h encerra-se a dose dupla. Outra coisa interessante é que o rodízio é R$39,95 para os clientes que chegam até as 20h. Chegando após esse horário, vamos pagar R$49,95 por pessoa, pelo mesmo rodízio. Dessa forma, “obriga-se” o cliente a chegar antes das 20h.

Porém, garanto a vocês, depois de estar lá, feliz com as comidas, as bebidas, o atendimento e o ambiente, ninguém vai embora às oito da noite!

Intrigada com todas essas reflexões, voltei para a Internet no dia seguinte e descobri, em uma pesquisa mais aprofundada, que o Detroit é uma franquia e já tem quase 20 lojas abertas pelo Brasil e outras 25 com abertura em breve. E faz questão de deixar muito claro em seu site as vantagens de ser um fraqueado:

Fonte: http://detroitsteakhouse.com.br/franquias-2/

Portanto, concluo que se você é um apaixonado por gastronomia, lazer e boa diversão, o Detroit é uma excelente opção para toda a família!

E se você estiver pensando em investir na área, vale considerar esta franquia.

#FicaaDica!

#gastronomia #LulieAlex

43 visualizações

Veja, escute, leia, pense, faça...

ARGONAUTAS

2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
contato@argt.com.br
61 99853-4925