• Camilla Cunha

Das páginas de um livro para vida real


Aproveitando a semana de comemoração ao dia dos professores, aproveito para fazer uma reflexão sobre a docência. A academia tem um desafio de produzir conhecimento que realmente seja útil para a sociedade. Essa realidade tem sido buscada por professores e estudantes ao redor do mundo nas mais diversas áreas. É possível notar o esforço de pesquisadores em busca da cura de doenças, desenvolvimento de novos modelos e ferramentas para gestão de negócios, criação de soluções inteligentes para construção de moradias com custo mais acessíveis, criação de receitas criativas para uma alimentação mais saudável, uso da tecnologia para democratização da educação, enfim essa lista poderia ser facilmente ampliada.

A ideia que permeia esses (e outros) exemplos de iniciativa coletivas é o desejo de unir esforços em prol de uma causa, de um propósito ou mesmo de um legado. A vivência acadêmica mostra que, cada vez mais, o que estudantes estão aprendendo em sala de aula precisa fazer sentido. E ao ampliar a reflexão, esse desejo também faz parte dos anseios do corpo docente. Diante disso, estamos diante de um desafio que é fazer com que nossas aulas sejam espaço de construção coletiva do conhecimento, de modo que possamos a unir esforços para que o tema da aula se torne algo interessante e útil.

Existem várias maneiras para que isto ocorra, compartilho com vocês um pouco do nosso esforço para tentar transformar esses anseios em realidade. O primeiro passo nesta jornada é a alinhar expectativas com os estudantes, apresentando a proposta e o caminho a ser percorrido. A união de esforços é ponto central para o êxito. Mas, além dos professores e estudantes, quem faz parte dessa iniciativa? Esse é um ponto central: precisamos romper os muros da Universidade e estar perto de realmente quem necessita dos resultados de nossas pesquisas e estudos. Eles também participam de todo o processo, da concepção, planejamento, coleta de dados, desenvolvimento e entrega.

Vou contar um pouco de uma experiência específica que estamos vivenciando este semestre. Em uma das disciplinas que leciono temos o desafio de colaborar com o processo de internacionalização das micro e pequenas empresas do Distrito Federal. Assim, para começar nossa jornada, buscamos apoio junto àqueles que conhecem bem do assunto e fizemos uma boa revisão na literatura nacional e internacional a fim de construir um arcabouço teórico consistente. Tivemos descobertas incríveis, informações valiosas que nos indicam teorias, caminhos, processos, etapas e métodos.

O passo seguinte foi encontrar as empresas atendidas. Para isso utilizamos nossas redes e nos unimos com o Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Distrito Federal, cuja missão está alinhada com a nossa proposta que é colaborar para o processo de internacionalização das empresas do DF. Neste sentido, já foram realizados encontros de aproximação, coleta de dados e planejamento das etapas.

Agora estamos exatamente na fase de execução do plano de marketing internacional para oito empresas do segmento de moda do DF. São 16 estudantes envolvidos nesta iniciativa, que executam as atividades sob a supervisão da professora e da equipe do CIN-DF. Esta iniciativa busca ampliar a participação das empresas do DF no mercado global, bem como contribui com a formação dos estudantes por meio da vivência prática.

Os resultados dessa parceria são percebidos na qualificação dos estudantes envolvidos, na geração de informações valiosas para as empresas, na criação de rede de contatos entre os envolvidos e em possíveis negócios gerados. Ao pensar nesse processo, lembro-me da abordagem de Manuel Castells, em sua obra A Sociedade em Rede, quando ressalta que: “Uma nova economia surgiu em escala global no último quartel do século XX. Chamo-a de informacional, global e em rede, para identificar suas características fundamentais e diferenciadas e enfatizar sua interligação”.

Assim, se estamos diante de uma nova realidade, nossa resposta também precisa ser diferente! Sou muito feliz por ser professora, por conviver com excelentes profissionais e saber que existem tantos outros professores comprometidos com a transformação do Brasil por meio da Educação. Feliz dia dos professores!!!!

#CamillaSara

0 visualização

Veja, escute, leia, pense, faça...

ARGONAUTAS

2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
contato@argt.com.br
61 99853-4925